sábado, 26 de abril de 2008

Porta-retrato


Sugestão de lembrancinha para o Dia das Mães retirada do site www.orientaltrading.com.

Cartão

Sugestão de lembrancinha para o Dia das Mães retirada do site www.orientaltrading.com.

Dia das Mães


VOCÊ SABIA QUE...

O Dia das Mães tem a sua origem no princípio do século XX, quando uma jovem americana, Annie Jarvis, perdeu sua mãe e entrou em completa depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a idéia de perpetuar a memória da mãe de Annie com uma festa. Annie quis que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. Em pouco tempo, a comemoração e consequentemente o Dia das Mães se alastrou pelos Estados Unidos e, em 1914, sua data foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson: dia 9 de Maio.
No Brasil, o Dia das Mães é celebrado no segundo domingo de Maio, conforme decreto assinado em 1932 pelo presidente Getúlio Vargas.
Em Israel o dia da mãe deixou de ser celebrado, passando a existir o dia da família em Fevereiro.
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre

Dia do Índio

















Para comemorar o Dia do Índio com meus alunos, lemos e discutimos textos variados (informativos, notícias, poesias...) sobre este importante povo. Para o mural externo de minha sala foram expostas poesias feitas por eles. As poesias ficaram excelentes e retrataram o valor, a relevância e a influência que a cultura dos indígenas tem na cultura brasileira.

domingo, 20 de abril de 2008

Bloquinho de Anotações

Sugestão de bloquinho de anotações retirada do blog "Kids dicas". Espero que sirva como dica para lembrancinha para o "Dia das Mães".

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Preconceito nos lápis de cor

Leiam e reflitam sobre esta história,  a fim de não cometerem este erro. Vejam como uma simples indicação de lápis de cor, pode caracterizar-se como uma atitude de preconceito.

Gostaria de contar-lhes a seguinte história: Quando meu filho ingressou na escola de educação infantil, chegou aqui em casa certo dia dizendo que queria ser 'cor de pele'. Gostaria de informar que somos negros. Meu marido é branco. Nosso filho, mestiço. 

Não conseguimos entender o desejo dele, pois ele já era cor de pele - foi o que respondi. 'Filho, você é cor de pele. Cor de pele negra'. Esse tema rondou a casa por semanas até que um dia fui à escola descobrir o que estava havendo. 

E, para minha surpresa, o fato era uma mistura de incompetência para a diversidade brasileira vinda da própria professora e, muito fortemente, saída também da Faber-Castell, que tem na sua caixa de lápis de 36 cores uma cor chamada PELE. Que cor é essa? Um salmão, rosa-claro, rosinha a que o fabricante denomina PELE. 

Pele de quem, me pergunto? Pele branca, é claro. Não seria legítimo em um país de maioria negra que houvesse também uma cor na caixa de lápis para quem não tem pele branca? 

Ressalto que, sim, embora as estatísticas camuflem esse dado, o Brasil é um país de maioria negra. E posso informar bibliografia consistente sobre o assunto, se necessário. Ou insiram uma nova cor, que contemple a pele negra, ou mudem o nome dessa, por favor. 

Meu filho está com sete anos agora e já faz tempo que sabe que 'marronzinho' é a cor usada para representá-lo, como ele mesmo dizia. Mas entendeu nesse exato momento em que quis ser 'cor de pele' que vocês o submeteram a um preconceito disfarçado. Camuflado em uma caixa de lápis que vemos nas propagandas cantantes, coloridas, sorridentes da marca. O fato é que desde essa época - e faz tempo! tento por este canal, sem sucesso, um contato com a Faber-Castell. 

O fato é que semana passada, fazendo uma compra pude ver que a cor PELE continua na caixa de lápis fabricada por vocês. Quero uma resposta e providências em uma semana, por favor. Porque hoje acordei cansada de ser ignorada. Aproveito para informar que, desta vez, usarei todos os recursos necessários para que minha reclamação atinja os canais destinados a ela, bem como instituições que se preocupam com a questão no Brasil. 

Atenciosamente, muito atenciosamente, 

Denise Camargo.

sábado, 12 de abril de 2008

Projeto sobre os índios


Somente por meio de uma proposta significativa, criativa e instigante, é que podemos desenvolver nos estudantes um olhar crítico acerca dos fatos sociais que nos cercam. É assim que eles têm oportunidade de perceberem que o conhecimento é repleto de significado e que  não aparece apenas em livros, mas também em nossas ações cotidianas. Por isso, segue-se abaixo, um exemplo de um mini projeto sobre os índios.

Objetivos:
- Conhecer e refletir sobre a história dos índios;
- Conhecer, analisar e debater os hábitos e costumes indígenas;
- Conhecer, analisar e debater a influência indígena em nossa vida;
- Aprender a respeitar os índios com a finalidade de construir a cidadania numa sociedade pluri-étnica e pluricultural;
- A partir do tema gerador desenvolver atividades nas diferentes Áreas de Estudo.

Objetivo Proposto nos PCN’S de interesse no presente projeto:
- Conhecer e Valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.

PLANEJAMENTO:
Propostas de Atividades que trabalharão os temas transversais: Ética, Saúde, Meio Ambiente, Pluralidade Cultural e Cidadania.

Sensibilização: 
- Propor aos alunos que pesquisem e levem para sala de aula recortes de fotos de pessoas que possam parecer descendentes indígenas. Com todas as fotos em mãos, o professor em círculo analisará juntamente com os alunos cada foto. Procurando incentivar para que todos dêem sua opinião. Em um segundo momento listar em um cartaz os conhecimentos que os alunos já tem sobre o assunto ( Conhecimentos Prévios ). Provocar os alunos a se expressarem, fazer indagações e ir registrando em um cartaz. Logo em seguida, em um outro cartaz, listar as dúvidas provisórias dos alunos, ou seja, perguntar o que desejam saber sobre o tema e ainda não sabem, novamente provocar os alunos a fim de lançarem suas dúvidas.
Por último, propor que os alunos ilustrem os cartazes com fotos e desenhos.

Propostas de Atividades de Integração das Áreas de Estudo:
GEOGRAFIA:
- Localizar em Mapa ou Globo Terrestre pontos do território nacional onde ainda vivem tribos indígenas;
- Comparar o modo de vida dos índios de outras regiões com o modo de vida dos índios que ainda habitam a floresta amazônica.

HISTÓRIA:
- Reconhecer os modos de vida dos índios, sua cultura, sua alimentação, formas de trabalho e sobrevivência;
- Refletir e opinar sobre o papel do índio na formação da nação brasileira.

LÍNGUA PORTUGUESA: 
- Levantar o vocabulário usado pelos indígenas e descobrir seus significados;
- Produzir, utilizando diferentes formas de expressão, textos individuais e coletivos sobre os debates e as reflexões do assunto;
- Orientar os alunos para elaborarem pequenos textos sobre cada descoberta realizada;
- Ler histórias originalmente indígenas ou que tratem do indígena e seus valores;
- Organizar um dicionário ilustrado com as palavras indígenas.

ARTES:
- Observar manifestações de arte da cestaria, da cerâmica, da plumaria e de outros objetos de cerdas vegetais e cordas, realizados pelos índios de hoje e de antigamente;
- Observar ilustrações de artistas do tempo do Brasil – Colônia que retrataram o indígena e suas manifestações culturais;
- Vivenciar por meio de músicas sobre o tema um pouco da cultura indígena – cantando e dramatizando;
- Vivenciar por meio de atividades artísticas manuais e plásticas um pouco da cultura indígena, criando objetos e instrumentos musicais.

Questões para debate
- Ainda existe preconceito com os índios?
- O que vocês sabem, pensam e acham sobre isso?
- O que podem e o querem fazer para ajudar a mudar o quadro dos preconceitos e discriminação?
- A culinária indígena é usada na cozinha brasileira? Como? 
- Ainda são encontrados locais de agrupamentos e reservas indígenas?
- Quais são essas tribos? Como vivem? Como se mantêm? Quais os seus atuais costumes?
- Quais são as palavras e costumes de origem indígena?
- Há influência dos índios na Língua Brasileira?
- Há influência dos índios no artesanato?
- Há influência dos índios na medicina caseira? E nos adornos pessoais?

Para refletir...



O índio

Eu ouço falar de tua raça
como se tua inteligência
fosse inexistente,
como se fosses
um animal
movido apenas
pelo espírito
da sobrevivência!

Eu ouço falar e não creio
que tu, meu antepassado,
não tenhas ao menos
onde morar;
que tenham te roubado
as terras e matas,
teu céu, tuas lendas,
a dignidade, a tradição,
o orgulho, o brio,
até teu Deus!

Esqueceram-se,
os brancos,
de enxergar
o vestígio de índio
que todos nós,
brasileiros,
carregamos
como um carma
no sangue!

Negam sua cor,
seu passado,
se envergonham
de si mesmos,
como se esconder
a carne dos ossos
fosse possível!

Raça pura
de brancos canibais,
afastados da ingenuidade
e da pureza de espírito!
Quero de volta
as matas, os rios,
meu pacifismo genético
de índio!

Thaty Marcondes

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Campanha da Amizade




Quero agradecer à amiga Ivanise (http://baudeideiasdaivanise.blogspot.com)  
a gentileza e o carinho em conceder ao blog Caixa de Idéias este lindo selo.
Amei Ivanise!!! Obrigada de todo coração pelo reconhecimento e admiração. Beijos!!!



quinta-feira, 3 de abril de 2008

Cartão


Dica para cartão retirada do site www.prittworld.com. Sugestão para presentear os colegas com uma mensagem valorizando o "Dia do Livro".